Acordo Ortográfico

Este blog não se rege pelo acordo ortográfico. Nem por qualquer regra gramatical.

Eu sou um nabo a portugês!? Português digo!

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Dia 120 – Mau Vinho!

Não, não é à qualidade do vinho que me refiro.

Ontem ao jantar tomei a decisão de não beber agua.
Abri uma garrafa de vinho, porque o MyLov tinha acabado com a outra que só dava para um, e deixei o vinho respirar enquanto preparava o jantar.

Estava bem tranquilo e ao contrário de outros dias, aquele vinho, nada de especial, estava a saber-me muito bem. Acabado o jantar e a garrafa vai a meio. MyLov não tocou na garrafa que abri!

Já não me lembro da ultima vez em que fiquei embriagado, não foi ontem esse dia, para fazer a contagem do zero novamente, mas quando bebo vinho fico com uma soneira mas não durmo e falo, falo, falo, falo e falo… e como disse anteontem, quando falo só digo merda!

Hoje estou de ressaca, ressaca de consciência.


Not Accepted!!!

terça-feira, 28 de abril de 2015

Dia 118 - Palratório!

Sou uma pessoa que adoro uma boa conversa, mas sinto que sou um perigo… não consigo controlar o que digo e acabo às vezes por contar o que não quero.

Depois vem a parte de não saber mentir, vai daí sai-me da boca a verdade. E é que basta fazerem-me uma pergunta que respondo sem pensar.

Não falo de perguntas básicas de como estar, ou onde compraste esses sapatos… falo de perguntas mais pessoais.

A minha expressão facial nestes dias é muito propensa a perguntas… malvadas borbulhas!


Not Accepted!!! 

Dia 117 - Looking for something...

Tudo corria bem, para uma segunda-feira, até que algo se apoderou de mim.


Isto está a acontecer demasiadas vezes…

Not Accepted!!!


segunda-feira, 27 de abril de 2015

Dia 115 e 116 – Fim-de-semana de Louco!

Não posso começar o relato de como foi o meu fim-de-semana sem antes desabafar o quão estranha foi a minha semana de uma forma geral.

Serviu quase como uma epifania, pois passamos demasiado tempo a valorizar o que está errado e eu por norma fico aí mesmo! A valorizar o que não está bem, o como me sinto ou o como derrotado sou!

Mas olho e sei que há pessoas que querem o meu bem e me ajudam a sair deste marasmo e me motivam.

Tanto no dia 112 como no 114 fui fazer exercício físico, na sexta fui experimentar uma das modalidades desportivas mais difíceis que conheço - o Polo aquático. E digo-vos que apesar das dores no pescoço, braços e pernas e de apenas ter conseguido estar meia hora dentro da piscina a fazer exercícios, saí de lá muito tranquilo e nostálgico!
É que reconheço o valor da camaradagem, da disciplina e de um bom líder!
O treinador insistiu que não desistisse da modalidade e que era um desporto de dedicação, mas comparo-me um pouco que seja e os companheiros de piscina fazem aquele desporto desde a piscina de placenta… eu tenho 32 anos e apenas mergulhava na sopa, acho que vai ser difícil! 
Ainda assim estou motivado para um desporto de água (sempre gostei de desportos náuticos e água) pelo que primeiro vou equilibrar a forma física e depois dedicar-me ao desporto de competição! 

Agora o que quero dizer com isto é que o que me tem esgotado de facto é o que tenho valorizado… o meu trabalho! E que errado estou!

Pois bem que comece uma nova era para mim… assim me vou esforçar… e…

… e embora tanto eu como o MyLov tenhamos reservado este fim de semana à mais de um mês veio bem a calhar.

Viajámos para o Porto no pretexto de ver um espectáculo no TNSJ, chamado a Sagração da Primavera com a magnífica Olga Roriz.

Decidimos agendar a viagem e ir no comboio, sendo mais tranquilo e rápido e barato, porque ir de carro ao preço da gasolina ficaria uma viagem caríssima. Assim foi, inter-cidades com eles e partilhando um mini trólei lá fomos para o Porto.

Chegados a Campanhã o sotaque nortenho começa a evidenciar-se bastante, confesso que as pessoas do norte impõe respeito quando falam, e se dizem que eu sou arrogante quando falo é porque nunca foram ao norte (e não digo isto no sentido negativo).

Visita ao Porto, e chegados ao Bulhão o que acontece!? Chove. E a chuva de tal forma intensa que decidimos ir fazer tempo para o shopping e acontece o que menos esperamos… duas madames começam a discutir ferozmente, aos gritos, até que se engalfinham à porrada, fico incrédulo mas certo é que as mulheres do norte são assim mesmo! Parecem homens, algumas têm bigodes maiores que o meu! (bom há excepções como em tudo)

Para quem não conhece a Sagração da Primavera de Stravinsk é um bailado quase contemporâneo… muito intenso que para quem consegue entender aqueles espasmos epilépticos que Olga Roriz faz sabe que são de uma dificuldade impressionante.
Eu diria apenas que se tratou de ver uma mulher magra de vestimenta descuidada, a chafurdar no pó. Mas que o seu chafurdar foi de uma impressionante categoria.
Para mim um dos espectáculos mais impressionantes e intensos que já vi!




O alojamento local, 1930City Lodge, o qual recomendo, ficava um pouco distanciado do centro e entre metro e uma caminhada de 15 minutos admito que desesperei bastante! Mas não posso deixar de falar do pequeno-almoço, que apesar de simples foi dos mais relaxantes que tive!

Domingo! Dia do retorno mas ainda há tempo para ir à zona ribeirinha e ali comer qualquer coisa.
E que sorte nos termos sentado naquele instante pois um diluvio se abateu na Invicta mas na hora de pagar um sol magnífico apareceu… afinal sou um tipo cheio de sorte… será!

Sim! Chego a Lisboa com uma imagem apenas, a minha casa! Entro no carro e ao fim de 600 metros estou parado de 4 piscas e triângulo e de telefone no ouvido a ligar para a assistência em viagem! E a imaginar que merda seria se tivéssemos à um mês atrás decidido ir de carro!

Teria sido um fim de semana completamente diferente! 


Accepted!!!

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Largar tudo e sumir para outro país - era tudo o que mais queria!



Hate my job!


Dia 114 – Caga-lume


Estava eu a apanhar alguns rolos-de-desgosto que a Dona Lia tinha defecado, eis se não quando uma luz florescente intensa pisca na escuridão…

Uma alegria infantil se apoderou de mim, largando de imediato a bosta, corri para a erva daninha gingante onde o dito pirilampo estava.

Não sei porquê mas estes pequenos insectos remetem-me à infância a uma velocidade estonteante, e fico a recordar o que fazia naqueles dias… (suspiro)

A Dona Lia ladrava com medo ou então com indignação pois tinha estado all-day à minha espera para brincar e ir passear e eu dedicado ao estudo do animal que emite luz. (Nunca a vi tão stressada e curiosa.)

 Pois fiquei ali, sentado num calhau, com o pirilampo na mão, às voltas entre os dedos, completamente hipnotizado pela luz florescente que cada vez dava mais luz… acho que estive ali uma boa meia hora.

Um súbito Ohhhhhhh! Seguido de um olhar para o céu foi o que se seguiu assim que o bicharoco abriu as assas e basou e eu voltei a 23 de abril de 2015!

Para mim os pirilampos trazem recordações de primaveras maravilhosas que passei… hoje mesmo com chuva estou em modo primavera!


Accepted!!!




quinta-feira, 23 de abril de 2015

Dia 113 – A dor

Que tinha eu na cabeça quando aceitei o convite from MyLov para ir fazer uma aula ensaio com:


Tudo correria bem se a academia não tivesse aquelas duas palavras a seguir… fitness e militar.

Para quem deixou de fazer exercício algures antes da viragem do século decidi aceitar o desafio e em uma hora fazer os exercícios todos de uma vez.

Vai daí a frase: Calma deixem-me respirar, não sinto os braços… implicava mais 30 rezas árabes, (porque estavam a apresentar o “produto”, caso contrário era DEITAR…  30 flexões de braços, digo) e como o ritmo era tão acelerado, e tudo a gritar, a certa altura rendi-me à dor e esqueci a existência por alguns momentos… (não desmaiei literalmente, mas o meu cérebro voou para o sofá lá de casa e ficou lá sentado).

Quando tomei o sentido, já estava a alongar, braços, pernas, costas ou o que restava delas… e nem as palmas a felicitar o treino foram entusiásticas, aliás é bastante contraditório uma vez que estava a aplaudir por me terem infligido dor.

Dor essa que não ficou na areia da praia, está grudada no meu corpo. Sugeriram que pedisse uma massagem… AI DE QUEM ME TOQUE….

Socorro, doí-me tudo!

PS. Visitem o site e a galeria de fotos, ao menos faça-se jus à Academia que para quem não gosta de ginásio como eu é uma alternativa formidável.


Accepted!!! – que remédio, fui eu que decidi ir!!!


Prova do crime cometido contra a minha pessoa!!! :P


quarta-feira, 22 de abril de 2015

Imagem nova... ou não!



Várias tentativas feitas para mudar a imagem do blog e...

...e não é que em menos de 10 minutos já não reconhecia o blog sem a cortina vermelha!?
Pois bem, teve de voltar!






Dia 112 - Proust Questionnaire (centésimo post)

Proust Questionnaire by  Pedro Pádua

I. Qual é a sua maior qualidade?
Ser leal. A lealdade abrange uma serie de outras qualidades intrínsecas como a honestidade, confiança e o amor.

II. E seu maior defeito?
Critico. Com as coisas, com as pessoas e comigo. O que é, de certa forma, devido ao facto de ser pessimista.

III. A característica mais importante em um homem?
Masculinidade e tudo o que lhe é inerente.

IV. E em uma mulher?
Feminilidade e sexappeal.

V. O que você mais aprecia nos seus amigos?
O companheirismo e a rectidão isto porque a amizade é mais do que ter alguém que nos admire e nos capriche com elogios.

VI. Sua actividade favorita é…
Remar, velejar… embora desde que uma fatalidade se abateu sobre o meu Kayak que nunca mais toquei numa pagaia.

VII. Qual a sua ideia de felicidade?
Com certeza não é a ideia correcta pois contínuo em busca!

VIII. E o que seria a maior das tragédias?
A morte, pelo medo que me causa.

IX. Quem você gostaria de ser, se não fosse você mesmo?
A minha cadela a Dona Lia, tem uma vida que invejo.

X. E onde gostaria de viver?
Londres, num loft com uma banheira com vista para o Big Ben.

XI. Qual sua cor favorita?
Branco, não porque seja sinónimo de vazio mas pela imensa possibilidade de se encher de cor!

XII. Uma flor?
Cravo, sem qualquer alusão a uma revolução mal engendrada, mas porque gosto das camadas que cria.

XIII. Um pássaro?
Turdus merula, ou melro-Preto. 

XIV. Seus autores preferidos?
Admito que não sou um leitor nato, mas gosto e Fernando Pessoa e Saramago.

XV. Os poetas que mais gosta?
Mário Sá Carneiro e Daniel Maia-Pinto Rodrigues

XVI. Quem são seus heróis de ficção?
MacGyver, que tipo desenrascado…

XVII. E as heroínas?
Madame Mim… faz-me lembrar tanto a minha chefe…

p.s. – tenho vários heróis e heroínas de que gosto, mas estas duas marcaram períodos da minha vida, sendo que a Madame Mim é num passado mais recente.

XVIII. Seu compositor favorito é…
Georges Bizet, a Cármen é das minhas óperas favoritas.

XIX. E os pintores que você mais gosta?
Salvador Dali, e algumas obras de Paula Rego.
Admiro mais arte contemporânea…

XX. Quem são suas heroínas na vida real?
A Elisabete, a Ana, e a minha avó Emília.

XXI. E quem são seus heróis?
O António e o João…

p.s. – obviamente que isto é um grande cliché, heróis da vida real são efectivamente as pessoas à minha volta ou que de alguma forma se cruzam comigo e que conseguem superar provações e descriminação e doenças e encarar essas mesmas como parte de uma fase da vida e esquecer.

XXII. Qual sua palavra favorita?
Aquiescência… não é à toa que é o título do meu blog. Significa aceitação de si mesmo, da sua existência. Admito que a vida me obrigou a ser engenhoso na aquiescência da minha pessoa.

XXIII. O que você mais detesta?
Inveja… principalmente a dissimulada.

XXIV. Quais são os personagens históricos que você mais despreza?
Desprezo significa que ainda dou algum valor, portanto diria que é Hitler.

XXV. Quais dons naturais você gostaria de possuir?
O dom de ser compreendido sem ter de me explicar…

XXVI. Como você gostaria de morrer?
Porque não iria achar piada nenhuma a morrer, nunca pensei nisso… mas que nem notasse.

XXVII. Qual seu actual estado de espírito?
Não conheço nenhum termo que caracterize o meu estado de espírito actual porque em alguns dias não estou deprimido.

XXVIII. Que defeito é mais fácil perdoar?
Sei perdoar e perdoo qualquer defeito, talvez na ânsia de receber constante perdão pelo que faço ou digo mesmo que não tenha feito ou dito nada de errado. Se somos pecadores por defeito perdoar devia ser automático.

XXIX. Qual é o lema da sua vida?
“A vida ajudou-me a ser engenhoso na aquiescência da minha pessoa.” Infelizmente! 


ACCEPTED!!!

Dia 112 – Dia do centésimo post.


Nem a greve da carris nem o metro a abarrotar, nem o despertador que não tocou, nem o ambiente no meu trabalho, nem a minha cadeira ergonómica mas ao contrário, nem a borbulha incomodativa ou o cabelo que não quer ficar como eu gosto, me estão a irritar como seria espectável (sou muito irritadiço), porque este é o dia em que posto a mensagem 100 no blog.

E porquê de tanto entusiasmo!? Não sei! Simplesmente não sei. Até porque de facto não é assim nada de especial.
É como aqueles namorados que festejam tudo, a data do primeiro tudo!

Anyway, acho que é um pretexto para levantar a cortina vermelha!



Accepted!!!


terça-feira, 21 de abril de 2015

Moda, ou não

Dizem que a moda é cíclica.
Preparem-se.

Modern Talking



PS - estes anos 80... MEDO

Almoço e Amigo(a)s

Fui almoçar com as minhas ex-colegas… que se converteram em amigas.
Sei que o que a Super Bock faz neste anúncio é publicidade, mas leva-me a pensar realmente o que eu valorizo na vida que é os amigos!


A pergunta é o que se passa com a amizade? A minha resposta? 
Nada, a minha está bem saudável! 



Dia 111 - Novo estado de espírito...


Nunca pensei viciar-me no Blogger! 

Acho que desde que tenho escrito, ou colocado umas coisas diariamente a adição aumentou e sou fã!

Decidi dar uma cara nova ao Blog que tenho vindo a preparar e ainda esta semana muda aquando do centésimo post - onde apresentarei o meu proust questionnaire.

Quero dizer que se antes eu me retraí de postar mais que uma vez por dia, sinto que preciso de apresentar mais coisas das minhas rotinas, e tal como ontem não me vou coibir de postar mais que uma vez por dia.

Hoje começo por dizer que estou de espírito renovado.
A banda sonora do dia contrasta, mas falamos de grupos intemporais. 





Accepted!!!

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Hoje estou imparável...

Vi esta noticia e não podia deixar de partilhar, pois parece que se aplica no meu caso... 
Atenção que eu sou o individuo atraente!!!



No entanto, a beleza pode ter um revés profissional. "Ser atraente pode custar-lhe oportunidades - empregos, tarefas, bolsas, promoções", escreve a professora Heidi Grant Halverson, da Universidade de Columbia, Nova Iorque, no seu novo livro.  Como resume o Bussiness Insider, a propósito do lançamento da obra: Se fizer o seu entrevistador sentir-se inseguro, isso não vai ajudar a sua carreira. 

Ler mais: http://visao.sapo.pt/ciencia-mostra-como-ser-demasiado-atraente-pode-dar-cabo-da-sua-carreira=f817090



PS - eu não me considero atraente, mas há pessoas mais feias que eu!


Entre parênteses

Há muito que gostava de ser um mega fashion blogger, adoro compras, roupa e sapatos. Casaco a casaco, blazer a blazer, sapato a sapato o meu roupeiro compõem-se amiúde.

Decidi acrescentar ao meu blog uma página subordinada a este tema… e vez por outra vou substituindo os artigos que quero no meu roupeiro!


Dêem uma olhadela, pode ser que gostem de alguma ideia! 






Dia 110 - Abomino Segundas...

Segunda e eu já me sinto assim!!!





Not Accepted!!!

Dias 108 e 109 – questões pertinentes ou então não!

Não é fácil termos de lidar diariamente com as perguntas que colocamos a nós próprios questionando as nossas emoções, sentimentos e motivações, seja sobre que assunto for mas é ainda mais difícil quando alguém faz essas perguntas.

Se eu tenho a capacidade de me deixar inseguro, e fechado num mundo quase autista, alguém fazer uma pergunta para o qual eu não tenho resposta, abalou-me.

Não vou dizer aqui qual a pergunta, nem qual a minha resposta, não é para vos deixar curiosos, simplesmente porque é muito pessoal.

Este fim-de-semana passei o tempo todo a matutar no assunto, e estive mais uma vez numa festa de aniversário aí eu matutei no assunto, fui à casa da guia em cascais beber um café e ver o mar com a Dona Lia, ali matutei no assunto… ao jantar, no banho, no sofá, quando me deitei matutei no assunto, hoje penso no assunto…

Not Accepted!!!


sexta-feira, 17 de abril de 2015

Dia 107 - Divagar

Viver não é um capricho meu nem uma natureza que se diz estar traçada em linhas invisíveis pelo destino, estas ideias são para mim um logro que procura justificar as nossas escolhas e contratempos. No entanto há coincidências em momentos da nossa existência que nos fazem pensar que a eventualidade de alguns acontecimentos não são acasos. Ainda assim acredito que tudo o que está à minha volta influência as minhas decisões. Obviamente que tenho vontade própria, e faço uso dela na sua mais completa definição, mas por mais que se deseje, não conseguimos controlar tudo na nossa vida.
Fonte: My book


Accepted!!!

p.s. - hoy yo ablo español

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Dia 106… a bonança!

Não há nada melhor que uma tempestade breve, poupa o desconforto. As melhores são de facto aquelas que descarregam toda a sua frustração de uma vez só – relâmpagos e trovoadas, chuva e inundações, mau humor e depressão!

E o sol raiou, era de noite mas brilhou!

Não fazia ideia que este sol ficasse pra hoje, mas bastou aqueles pequenos raios de luz para me animar e as boas notícias do início do dia deixaram-me animado!



Accepted!!!

terça-feira, 14 de abril de 2015

Dia 104 - Este tipo deve estar louco! HAHAHA

Ás vezes isto engana, ou então é humor!



Tivesse eu uma caçadeira! 

Not Accepted!!!

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Dia 103 - Book

Como Prometido e porque hoje estou numa de inspiração literária, vou postar mais um trecho do romance que estou a escrever! 

Parte II – Fé

28  Ora, um dos escribas, que se aproximara e os ouvira discutindo, sabendo que ele lhes tinha respondido de modo excelente, perguntou-lhe: “Que mandamento é o primeiro de todos?” 29  Jesus respondeu: “O primeiro é: ‘Ouve, ó Israel: Jeová, nosso Deus, é um só Jeová, 30  e tens de amar a Jeová, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de toda a tua mente, e de toda a tua força.’ 

Não tinha qualquer dúvida que fizesse o que fizesse, o que deus mandasse fazer tinha de estar sempre em primeiro lugar. Este era o mandamento principal para conduzir a minha vida neste mundo de injustiça, e de guerras, e de fome, e de conflitos político-sociais e de depravação. O único meio de sobreviver na terra, e se assim o fizesse teria como privilégio uma recompensa divina, que ainda hoje tenho presente.
Eu nasci testemunha de jeová. Claro que podem dizer que ninguém nasce testemunha de jeová como se nascesse chinês ou indiano. Mas para quem nasceu numa família testemunha de jeová com certeza sente que nasceu com essa condição sem opção de escolha. Da mesma forma que ao nascer não escolhemos ser homens ou mulheres. Mas nada disto me revolta, se o leitor conseguir compreender é semelhante ao facto de alguém neste mundo ter nascido numa família mórmon, amish, muçulmano, ainda que, tal como estes, pudesse, em qualquer altura, usar o livre-arbítrio de que fomos dotados, mas tendo em atenção que as consequências iriam ser fatais.
As rotinas eram apertadas, tínhamos uma série de compromissos semanais aos quais era impensável faltar. À terça, à quinta-feira e ao domingo pela tarde tínhamos as reuniões de grupo, aos domingos de manhã tínhamos a divulgação de casa em casa e de porta em porta distribuindo as pequenas revistas que eram publicadas pela nossa organização. Foi numa destas saídas que me deparei com o João, esse era um receio comum, o risco de nos encontrarmos com um colega da escola e sermos alvos da mais escarnosa chacota.
Não eram as doutrinas fundamentais que me preocupavam, naquela idade eu não discutia com os meus amigos como deus iria destruir o mundo e iria restaurar o paraíso, esperando eu, que desta vez Ele não plantasse a mal fadada árvore do bem e do mal. Não discutia assuntos de política religiosa embora aprendesse e defendesse que um governo celestial seria a única solução para o mundo. Aliás todos os cristãos rezam para que isso aconteça.

 “Portanto, tendes de orar do seguinte modo:“‘Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome. 10  Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra. 11  Dá-nos hoje o nosso pão para este dia; 12  e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores. 13  E não nos leves à tentação, mas livra-nosdo iníquo.’

Não havia um ano que não tivesse de explicar aos professores que não festejava o natal, o carnaval, a páscoa, o meu aniversário, o aniversário dos meus colegas, não pendurava enfeites nos pinheiros, nem pintava ovos, não assoprava velas, não competia nas provas de atletismo, nem poderia fazer parte da equipa de futebol nos torneios interescolares, não, nem, não, nem, não isto e nem aquilo. Tudo o que dizia era devidamente fundamentado com ajuda das pequenas revistas que distribuía e onde, através de histórias bíblicas antigas e factos históricos de festividades pagãs se justificava o porque de tantos nãos e nens.

Accepted!!! - Surpreso(s)!? 

Dia 101 e 102 - Fim de Semana de Dona Lia

Foi um fim-de-semana para me mimar, e para mimar a Dona Lia que a mando das incapacidades físicas que a cadela teve, mesmo que de 6 em 6 meses, tem ficado no quintal e pala vizinhança não podendo ir passear de Carro, como tanto adora, com os donos!

Mas este fim-de-semana vingou-se e pediu encarecidamente para ir ao bairro alto e à baixa porque não ia lá há muito tempo. E assim foi!

Não tenho nenhuma imagem que o demonstre porque a donzela arrependeu-se assim que chegamos ao Largo do Camões! Aparentemente não contava com o facto de eu deixar o carro no Cais do Sodré!

Com persuasão lá veio connosco até ao Miradouro de Santa Catarina e sentou-se a ver a paisagem, e enquanto eu desfrutava de uma bela caneca de cerveja. Mirava-me e mirava o horizonte, com uma vontade frenética de correm sem rumo em direcção ao Rio Tejo, uma ânsia que retraia assim que se chegava ao varandim do miradouro.

Voltámos, quando o vento frio se tornou um incómodo pois as pernas estavam despidas de roupa, e passamos pela rua da Atalaia, Diário de Notícias até que a Dona Lia, cansada de transportar os seus quase 35kg decidiu deitar-se, estateladamente, na calçada da Rua do Loreto, cheia de turistas a rirem da situação.

Eu senti-me aquele marroquino que quer levar o turista a passear de camelo e a besta insiste em ficar a ruminar a palha sem se mexer.

Mas é nestas ocasiões que o suborno aparece e nada como um biscoito para a fazer retomar a marcha até ao carro!


Ontem, correu pela relva, do infinito até às minhas pernas, tal a velocidade que fiquei com uma negra que ainda me doi!!!

Accepted!!! 

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Dia 100 – Acceptable or Not Acceptable | A estatística

Ao centésimo dia decidi fazer uma avaliação sobre como têm sido os meus dias. Foram Acceptable ou Not Acceptable? Bom diria que foram ela por ela:

Acceptable!!!
54 dias
Not Acceptable!!!
46 dias


Bem analisados os posts posso dizer que os dias não aceitáveis foram quase todos ligados ao meu trabalho, que de facto tem-me privado de muita coisa.

Pareço um pouco bipolar ou apenas um tipo normal com a cabeça toda marada e cheia de dúvidas. Que tão depressa está deprimido e ensimesmado como a seguir está a dizer a melhor piada do século (not) no tom que sempre foi característico(o escárnio), ou a postar uma qualquer parvoíce.

Obviamente que não é certo medir a aquiescência da minha vida por números de dias aceitáveis ou não. Até porque ainda sou consciencioso o suficiente para entender que os dias são feitos de momentos e momentos esses te podem ser bons ou maus. Já tive a oportunidade de admitir que tinha uma teoria errada acerca deste assunto.

O que me tem parecido bom no blog é o efeito terapêutico que me causa pois há sempre comentários que me animam e realidades que me fazem sentir acompanhado.

Posso não conhecer pessoalmente quem me segue, posso nem sequer entender o porquê de me seguirem, mas sabe bem saber que há alguém que nos ouve (lê) e que ainda hoje parece que vou chegar às 5000 visitas!

Diria que manter este registo de escrita é aceitável, e que espero, contrariamente ao que a estatística diz, que não tenha do encerrar por conhecerem a minha cara!

ACCEPTABLE!!!


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Dia 99 – A sentir-me em dia Não.

Estou incrivelmente mal disposto, acordei com uma náusea insuportável e ansiedade inexplicável.

Estou a partilhar isto porque não consigo encontrar nada de positivo para dizer, acho que até o facto de não chover hoje é sinal do meu dia miserável… é que em dias péssimos costuma chover.

Chegar ao trabalho foi outro tormento, como o de ontem, e abrir a porta deste WC transformado em escritórios, sem luz natural, a cheirar a mofo, tabaco e a velho, aumentou a irritação que está no limite da loucura.

Não devia falar do meu trabalho, mas eu não me adapto a estas pessoas, ao estilo de trabalho delas, ao puro funcionalismo publico, à sua voz,  gritam até porque o caralho do furador está cheio de confettis brancos, gritam porque o AC bate nas costas, e riem de forma histérica apenas porque alguém entalou o dedo na gaveta da secretária. Nunca sabem de nada nem viram nada.

Há dias assim, mas já à muito tempo que não me sentia tão deprimido. Admito que foi o maior erro que cometi na minha vida, pensar que mudar de serviço permitiria que evoluísse profissionalmente e intelectualmente, mas foi exactamente o oposto. Nunca pensei que regredisse tanto na minha carreira e que esta mudança em vez de me ajudar piorasse o meu estado emocional.

Nem a psicóloga acredita no que lhe conto, e nem eu acredito que isto me está a acontecer.

O meu pedido de “anulação de transferência” tarda em ter uma resposta efectiva, e esta luz ténue ao longe já se some da minha visão.

Dizem-me quase em chacota que só damos valor ao que temos quando perdemos as coisas, mas este nem foi o meu caso, sempre valorizei o que tinha, só queria mais… odeio provérbios populares, não quis tudo, por isso espero não perder tudo.

Não estou melhor desde que comecei a escrever o post de hoje, acho que ainda estou pior.


Unbearably not acceptable!!!