Acordo Ortográfico

Este blog não se rege pelo acordo ortográfico. Nem por qualquer regra gramatical.

Eu sou um nabo a portugês!? Português digo!

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Relógio biológico.

Preciso de desabafar. Hoje acordei com uma sensação estranha. Não sei se terá sido um sonho, se algo que eu vi ou li. Acordei com a vontade incrível de ser pai.
Fico de certa forma intrigado porque nunca tive o instinto paternal.

Não é um assunto tão tabu para mim, estou a um passo de fazer 34 anos, acho natural pensar em família. Na verdade eu sempre pensei em ter família.

Ok abrindo o meu livro, eu de facto tive um sonho. Um sonho que é recorrente, vez por outra sonho aquele sonho com muito poucas variantes.

Sonho que estou na minha Vila (na minha terra de crescimento), e chego a um parque de estacionamento perto da casa do povo, não tenho barba, chego num carro cinza grande. Saio do carro meio mal estacionado, e tiro uma criança linda que abraço no meu colo. Estou triste e feliz ao mesmo tempo, e acordo com essa sensação. O sonho acaba aí.

Não acredito na interpretação de sonhos, alguém um dia falou que os sonhos são questões mal resolvidas. Talvez a ausência de uma criança na minha vida seja essa a questão. Talvez seja só a saudade de uma certa tranquilidade que a Vila tinha. Mas vai daí e a criança no carro que eu abraço apaixonadamente, deixa-me confuso.

Ou então não passa de um evento qualquer que somatizei de um filme que vi.

A questão deste desabafo é que independentemente do que possa ser, depois de sonhar este sonho, fico com uma vontade enorme de ser pai.

Não escrevia já à bastante tempo, este nem é um assunto que por norma desabafe. Agora a minha cabeça começa a navegar, ser homossexual talvez dificulte a adopção, ser da classe media baixa, entre outras. Mas ter uma relação estável, com alguém que partilhe da mesma vontade esse sim é a maior dificuldade.


Ainda assim eu adoro apaixonar-me. 








terça-feira, 20 de setembro de 2016

Dia 264 – Sexo e Mousse de Chocolate.


Antes de mais deixem-me dizer, em relação à publicação de ontem, que a mesma (o breviário do Facebook) foi denunciada como sendo conteúdo impróprio, assim fica o aviso: Não devem nunca publicar no Facebook arte em que a mesma inclua estar sentado na sanita.


Voltando ao tema de hoje:

Fiz, não sozinho e com a receita da mãe. E digo desde já que mesmo com as medidas tiradas a olho saiu tudo perfeito.

Dizem que o chocolate é afrodisíaco, bom eu não posso comprovar que isso seja verdade porque quando como chocolate não tenho mais vontade de sexo que das vezes que não como. Posso é talvez comprovar que se consegue prolongar o prazer do sexo comendo chocolate depois, isso sim é óptimo! Mesmo que seja apenas uma colherada de uma mousse gelada.  

Também deixem-me dizer que fazer mousse tem pouco que se lhe diga, e inclui tanto conceito afrodisíaco junto que até causa arrepios e eriça os pelos dos braços, falo de uma Gemada só de gemas (gemada), chocolate negro e as nuvens de umas claras em castelo… tudo junto numa taça por esta ordem.

As quantidades, essas, é a olho.

...e no fim um uhmmm gostoso! 



PS: se quiserem mesmo a receita é simples ou vão ao google ou ligam para a minha mãe, ou então é uma tablete de Chocolate para 6 ovos.





segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Dia 211 a 263 - Lembrete: tens um blog! Escreve sff.


Entre um copo de vinho tinto e uma mesa cheia de amigos falou-se de tudo um pouco, mas falou-se mais sobre aquilo que nos une. A Blogosfera.
Talvez tenha sido uma antevisão do que será o jantar de dia 15 de Outubro, mas para mim foi mais um lembrete de que tenho um blog e que a ausência de publicações é de certa forma notada.

Escrever sempre foi uma forma terapêutica para mim, ou a intenção de chegar a alguém quando a dificuldade de me exprimir face to face é enorme.

Mas a libertação que procuro nas palavras que publico raramente tem o efeito que espero. Talvez seja claro que eu sou um constante insatisfeito.

E isso também se tem reflectido nas minhas relações ultimamente.
Talvez seja exigente demais, talvez não. De uma coisa eu tenho a certeza, como todos acho, gosto de atenção. Não exclusiva, mas sentir que numa relação eu também sou prioridade.
E se isto de relações é complicado…

Tenho gozado a minha casa como nunca, pensava que iria ficar desleixado e desarrumado porque estou sozinho mas não. Sabe bem entrar na minha casa com luz e a cheirar a limpa e arrumada. As rotinas mudaram um pouco desde que estou definitivamente sozinho. A Dona Lia vem visitar-me dentro de casa com mais regularidade.


É na companhia dela, de uma taça de vinho verde e da minha nudez que passo os meus fins de tarde, depois de um dia de trabalho. É numa atitude de espera, à espera que alguém complete o espaço vazio da minha cama, talvez hoje isso aconteça só por hoje, talvez aconteça para o resto da vida.



quinta-feira, 28 de julho de 2016

Dia 167 a 210 - #disfellowshipped

Este lugar sempre foi um pouco o meu espaço de desabafo, bem como o gabinete da psicóloga que embora faça um esforço tremendo não me entende perfeitamente.

Se ainda se lembram eu fui Testemunha de Jeová (TJ). Uma das coisas que acontece a alguém que comete pecado é a expulsão da religião. O que faria sentido se eu continuasse activamente como TJ, o que não o faço há quase 10 anos. E podem ficar surpresos de ao fim de tanto tempo afastado da religião eu ainda ser “julgado” por uma comissão… vejam o vídeo… explica mt bem. Se és Tj uma vez, és para sempre, mesmo que não queiras… é como uma cicatriz.

Eles agem tal e qual o vídeo: VIDEO

Pois bem o tão aguardado telefonema chegou, “alguém deu com a língua nos dentes” e acabei exposto perante os anciãos da minha congregação.

Sempre tive uma atitude um pouco revolucionária em relação à metodologia que eles usam, não consigo aceitar que tenha de expor a minha vida em frente a pessoas que não me conhecem pessoalmente, nem tão pouco alguma vez se importaram genuinamente comigo. Desta feita recusei comentar qualquer coisa sobre mim. O que é certo é que serei expulso da religião com base em pressupostos de alguém que comentou, viu ou não viu alguma coisa. Serei expulso de algo que não tenho como fazendo parte.

O problema disto tudo é que sendo anunciado a minha expulsão, a minha família e amigos deixarão de falar comigo sob pena de serem repreendidos… o que é lindo. (ironia)

O que estes últimos anos me ajudaram foi a construir uma boa relação com os meus amigos que embora alguns sejam TJ provavelmente não deixarão de me falar, aceitam o risco de serem repreendidos.

Mas isto não deixa de me fazer sentir sozinho e numa situação na qual eu não quero estar por não me identificar com ela. Assim vão tatuar-me na testa algo que eu não pedi.

No entanto, quero deixar claro a todos, que em nenhum momento eu critico os princípios básicos da bíblia ou que eles estão errados. A religião é assim mesmo. Critico o facto de embora eu estar afastado ainda seja tratado como uma testemunha. Muitos argumentarão que quando me baptizei eu aceitei esse compromisso. E é verdade. Mas também é verdade que com 12 anos eu não sabia como ia ser o meu futuro, hoje sinto que fiz um contrato com o Rumpelstiltskin.

Durante os contactos que tenho recebido, acabei por ser agredido no metro sem saber o motivo. Estava no metro, no whatsapp, no metro cheio, tanto que estava à porta bem apertado. Na estação seguinte levei um pontapé na perna… fiquei atónico sem saber porque o velho me tinha agredido. E no meio de confusão, já ele vinha para me pontapear de novo, o meu braço reagiu em direcção à cara dele, foi uma coisa muito estranha… isto só me deixa mais a pensar o quanto as pessoas andam loucas… doentes mesmo.

A vida está uma confusão para maior parte das pessoas, o que as deixa sem pensar e sem folga ou descanso e reagem sempre sem pensar nas consequências.
A minha não está de todo mal. À parte do que já escrevi, namoro agora com um rapaz lindo. Que amo muito. Temos sido companheiros e temo-nos divertido bastante juntos.

E é nisto que me foco. Aliás é isto que causa a minha estabilidade. O namorado, os amigos, e a família. Provavelmente também desatava ao pontapé a estranhos se me faltasse estas coisas.


Fica o pedido. Se chegar a este ponto, internem-me. 



terça-feira, 14 de junho de 2016

Dia 161 a 166 - #Orlando

Vou só ali ao supermercado comprar uma arma que estão com 30% de desconto em cartão e já falo no assunto... aproveito e trago preservativos e lubrificante, pena que estes nunca estejam e promoção. 











quinta-feira, 9 de junho de 2016

Dia 153 a 160 - Amigos/Futebol/Gay

Se há coisa que eu prezo são os amigos. E quem me segue sabe o quanto faço referência a eles, o quanto me ajudaram e me ajudam, maior parte das vezes sem saberem.

Ontem vi uma publicação no facebook, que partilhei, um texto do Miguel Esteves Cardoso sobre este tema, e digamos que eu tenho opinião semelhante do que são amigos.

Embora eu admita que a entreajuda de amigos é algo positivo a verdade é que dos amigos não se deve esperar nada. Esta “inutilidade” da amizade é o que faz mais sentido.

Gosto de estar com amigos quando há oportunidade ou quando a ocasião cria essa oportunidade.

E ontem fui ao futebol… muitos gays diriam que isso é muito hétero, coisa de macho. Bom a verdade é que eu sou Homem, para quem ainda não tenha reparado. E não é o facto de gostar de Homens que faz de mim mulher. E se há muitas mulheres que gostam de futebol, homens que vibram com o futebol, isso não faz do futebol coisa de heterossexual. É a mesma coisa que ver Guerra dos Tronos, que escandalosamente digo que não gosto e dou por mim a ser apunhalado no peito como infiel.

Uma coisa que esta “Aquiescência” preza muito é a liberdade. Sou um pacifista e respeito veemente a opinião do outro, os gostos do outro, o tempo do outro, e respeito até o mau gosto dos outros, o contraditório.

O que sempre deixei claro quando saí do armário foi que não mudei como pessoa. Em nenhum caso da minha vida. Se antes de me assumir eu já usava calças com flores isso não fazia de mim hétero ou gay. Se antes bebia cerveja e comia tremoços com os amigos, isso não mudou. Se antes pintava a cara num jogo do Benfica e chamava FDP ao árbitro isso não mudou. Se em 2000 chorei porque Portugal perdeu com a França nas meias-finais do europeu isso não mudou.

Resumindo. Fique aqui claro que há coisas que não têm sexualidade.
Claro que ajuda quando a tua cara-metade partilha da mesma opinião, e até toma a iniciativa de te convidar para ir ao futebol! Só faltou uma coisa… cerveja com álcool e tremoços. Coisa de hétero tão a ver! 



terça-feira, 31 de maio de 2016

Dia 120 a 152 - Back on track

Paragem perlongada, esta…

Muito se tem passado na minha vida nestes últimos dias. Fui despedido do cal-center: não vendia luz suficiente para me manter a atender chamadas, e nem tinha perfil para impingir preços de electricidade ridículos a velhinhos com as pensões de sobrevivência. Ainda assim, e por falar em sobrevivência, quatro meses “naquilo” e mantenho-me a respirar.

No trabalho “normal” tudo demasiado “normal”…

Claro que a vida amorosa também tem sido tema… até a minha mãe já me pergunta quem é que me faz canja quando estou doente, o que me deixou meio sem saber o que dizer, confuso até com o motivo da pergunta.

Bom meus caros quanto a isso não vou falar muito

Fica só a dica :P


quinta-feira, 28 de abril de 2016

Dia 118 e 119 - É hora de comer...

Já é o terceiro episódio que o Nectaria Noob publica e desta vez tive o prazer de participar. 

Desta vez o tema fora as comidas gregas. vejam o video, deixem o Like e subscrevam o canal.

Deixo aqui o video... divirtam-se :) 





terça-feira, 26 de abril de 2016

Dia 114 a 117 - e se fosse contigo...



E se fosse comigo?

Talvez o instinto me levasse a reagir, talvez o medo da reacção do outro me levasse a ignorar. 

Já fui vitima de bullying, na escola, se bem que naquela altura não tinha esse nome, simplesmente levava na tromba numa base diária... nem sei avaliar se isso alguma vez influenciou ou não a minha vida. 

Em adulto? Sofremos de bullying numa base diária também, às vezes com coisas tão banais que nem damos mais importância - por exemplo os cortes nos ordenados, o aumento dos impostos e a perca de poder de compra; a pressão no trabalho.

Mas não é disto que se trata, o assunto refere-se ao facto de sofrer ofensas e maus tratos por se ser... 

Até então tudo o que me disseram sobre a minha pessoa eu ignorei e passei à frente. Claro que fico ofendido se alguém me insulta, mas opiniões são opiniões, algumas eu aceito e dou valor outras não. Tenho de viver com o facto de alguém me insultar ou ficar incomodado por se cruzar comigo e - embora quase de certeza que não - esperar que as pessoas se percebam que elas também me incomodam.

E vocês que tipo de ofensas já sofreram? 










sexta-feira, 22 de abril de 2016

Dia 110 - 113 - Dia mundial da terra.

Hoje é o dia mundial da terra.
Todos os dias são dias mundiais de alguma coisa.
Hoje é o planeta que está em festa. Há fogo-de-artifício em algumas partes do planeta, como na Síria, no Iraque e por aí perto.
Parece que o banquete não foi preparado em alguns países na África.
E na Amazónia abriram muito espaço na floresta para caber o vazio de uma festa cancelada.
Na China festeja-se o dia mundial com o incenso todo disponível, foi necessário disponibilizar máscaras para não se morrer asfixiado.
Em Gênova festeja-se com um banho especial à base de petróleo.

Quero com isto dizer, que o planeta terra não faz sentido sem os seres humanos, mas viveria muito melhor sem eles, isso sim.
Da nossa parte… nós não viveríamos sem o planeta terra.


Acho que devíamos começar a pensar melhor na maneira como celebramos o nosso planeta.



segunda-feira, 18 de abril de 2016

Dia 104 a 109 - Beeing Fashion...

Caríssimos
Sabemos bem que a moda pode ser controversa. Cada vez mais as pessoas seguem o que determinado estilo diz que deve ser vestido, ou que fica bem para as massas.
Acaba por ser inevitável porque se precisas de umas calças novas quando chegas às lojas só encontras o que a moda diz que podes comprar.

Isso passa-se com tudo, até com o calçado. É por isso que nestes dias vemos nos pés de tanta gente os famosos Superstar das Adidas, ou réplicas.

Claro que ainda há pessoas que usas enchumaços nas mangas dos casacos, ou aquelas calças à boca de sino que compraram em meados de 2000. 

Sempre defendi que a moda é uma questão de atitude. Claro que também é uma questão de confiança.
E é aqui que reside a questão. É fácil vestir algo que confiamos à partida que é aceite, não necessariamente que nos fica bem.
Difícil é vestir algo que até nos fica bem, mas é menos aceite.

No que respeita a moda eu sou um pouco das duas. há sempre uma peça ou outra de roupa que eu gosto de ter para sair da minha zona de conforto. 
Uns acharão que me fica mal, outros não. 

A questão é que eu olho-me ao espelho e penso: "fazes falta no meu guarda roupa" - e dou por mim já estou fora da loja com o saco na mão.




by ZARA

BTW desculpem lá as etiquetas, foi no provador. prometo fotos quando sair com o modelito :P



quarta-feira, 13 de abril de 2016

Dia 91 a 103 - Recuperação

Ola pessoal.



O Senhor Alberto tem razão.

Ainda estou no call-center e a trabalhar 12h por dia tem sido desgastante. No entanto tenho tido muitas aventuras e coisas para contar.

Tenho aproveitado o “meu tempo” para me dedicar a trabalhar e para sair com os amigos.
Voltei ao T no sábado passado e a experiência foi diferente. O nível de alcoolémia também.
E conheci pessoas novas o que também foi divertido.

Agora não posso deixar de falar das minhas irritações.
A barba está de novo a crescer, e o bigode vai tomando a forma que tinha no início de Janeiro. Está naquela fase em que me fixo no espelho mas apenas olho para o cabelo com o propósito de o pentear.

No call-center as coisas são inevitavelmente animadas, especialmente quando ligas para alguém que se esquece de desligar o telefone e fica a alanzoar.

Ontem uma cliente implorou-me em linha que não queria juntar a MEO à EDP na mesma factura e que não ia alterar nada, que queria ficar na EDP e: “não vou sair da EDP nem por nada…” e eu disse: mas Sra.D. X eu não quero que mude da EDP, eu estou a ligar-lhe da EDP, apenas procuro apresentar os serviços dispon/i/ve/is/ (brutalmente interrompido) - “já disse k n mudo nada, já fui enganada por aqueles caralhos da enesa ou nesa ou que merda é. Não me junte a MEO à EDP olhe que faço queixa”.
Enfim, visto que tal conversa não ia dar em nada decidi despedir-me gentilmente da Senhora claramente confusa e a senhora disse: “ta, então vá, adeus” … mas o telefone foi pousado e ouve-se: “eram aqueles cabrões da luz dos chineses.”

Rime que nem… são quatro horas em que muita coisa acontece. Embora o que mais chateie é dizer mais de 100 vezes o meu nome e onde trabalho. Faz lembrar-me quando me enganava numa palavra num ditado e a tinha de repetir 100 vezes num caderno de linhas…





quarta-feira, 30 de março de 2016

Dia 71 a 90 - The sound of Silence



Olá meus amigos.
A vontade de escrever no blog é muita mas não tenho tido qualquer motivação de dar-vos novidades.

Já sabem que a minha vida nos últimos anos tem sofrido de uma bipolaridade brutal, e se está tudo bem hoje passado uns dias parece que o fim do mundo chegou.

Esta páscoa passou-se sem amêndoas nenhumas, mas algo aconteceu que me tem deixado pensativo e com uma saudade tal que me abalou.

O Habibi esteve em Lisboa para passar as férias da faculdade. E estivemos juntos por duas vezes. E disse que tinha muitas saudades dos nossos momentos. Assim que chegou a Lisboa a primeira coisa que fez foi ligar-me para irmos beber um café. Estivemos acordados até às 5 da manhã. Claro que eu não dormi nesse dia. Na sexta-feira santa foi o abraço dele e o sol na praia que me restituíram as forças de uma semana caótica.

Desde então temos falado todos os dias novamente. Embora ele tenha retornado da viagem a Lisboa.

Mais uma vez digo que a nossa vida é feita de coincidências e momentos, eu cada vez atento mais a isso. Nessa mesma semana pediram-me um tempo. E todos nós sabemos o que isso significa. O Little Terrorist ter estado justo nessa semana fez-me por tudo em causa. Ainda gosto muito dele.


Enfim.


quinta-feira, 10 de março de 2016

Dia 70 - O Cavaco

Despedimos-nos assim do cavaco...
Parece também que o Marcelo vai ter mais tempo para ler livros... é desta que um presidente lê a constituição. 




quarta-feira, 9 de março de 2016

Dias 65 a 69 - F5

refresh mode...

É como tem estado a minha vida nos últimos dias... subitamente tudo bloqueia e há que fazer F5.

Como já tive a oportunidade de vos chatear com isto antes, estou cada dia mais isolado nos meus Headphones. Começa a apoderar-se de mim uma terrível solidão e falta de interesse nas pessoas. Acho que o call-center veio piorar as coisas no sentido de que ainda me isolo mais quatro horas por dia, e se aquilo me faz odiar pessoas...

Hoje não acordei nos melhores dias, até porque ontem assim que cheguei a casa aterrei na cama vestido e adormeci. Só às 4 da manhã é que voltei a acordar com os botões de punho da camisa a magoarem-me a cara. 

De manhã, na estação, alguém estava debaixo do comboio.
Já com os headphones nos ouvidos, olhei para aquela cena com indiferença tal que me assustou. Facto é que há casos extremos de desespero em que a vida não faz qualquer sentido. 
O risco está em ficarmos constantemente a pensar nisso, para mim o problema é arranjar escapes na minha rotina que façam essas ideias e esse lodo parecerem coisa pouca na minha vida. 

O Mikey tem sido o meu F5. Haja o que houver, é aquela mensagem que faz refresh na minha alma. Aquele bom dia que me faz levantar cedo. O seu cheiro que me tira o enjoou da manha. a ideia de o ouvir... a ideia de o ver.




sexta-feira, 4 de março de 2016

Dia 64 - Também sou poeta...

Não sou poeta, nem me intitulo sequer de pensador ou filosofo.
Admito que estar apaixonado não melhora as minhas palavras, até quase que impede que elas sejam ditas.
Talvez seja um poeta sem palavras escritas, cujas rimas saem através dos meus olhos ou de um beijo nos lábios de quem me apaixonei.
Arrisco a dizer que estar apaixonado fez de mim esse poeta...

quinta-feira, 3 de março de 2016

quarta-feira, 2 de março de 2016

Dia 56 a 62 - eu e eu só...

Ola malta.
São muitos dias sem escrita, sem notícias…
É aqueles momentos em que queremos partilhar algo positivo e de muito pouco conseguimos tirar dos dias a esse respeito.
Mas há. E porque tenho trabalhado muito faço um esforço mínimo para achar esses momentos diamantes na minha rotina.

Mas os meus dias tem sido muito solitários, e estou a cansar-me muito depressa. Aliás já me sinto esgotado física e mentalmente.

Continuo apaixonado, mas arrisco a estragar tudo porque o tempo e a paciência no limite esgota toda a energia.

Bom, devo dizer que este início de ano tem sido uma verdadeira merda.

Preciso de um belo copo de vinho e ali ficar. A mandar foder o universo e a idolatrar-me.
Tenho prometido a mim, é este fim de semana, é sim este já… e o que acontece? Nada e já é domingo.


Amigos. Se não tiverem mais noticias minhas nos próximos dias é porque ainda estou enterrado no contactcenter a vender inutilidades a velhinhos. 



quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Dia 49 a 55 - Mini Férias

Férias para confortar o meu aniversário que foi ontem.
Não faltaram as mensagens de parabéns e ás quais eu agradeço muito.
Mas resumindo, foi um dia bastante normal. Terminei-o sozinho dentro do carro junto à praia a pensar... 

Cheguei a uma conclusão.

Daqui para a frente vão haver muitos dias assim.






quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Dia 47 e 48 - Rotina

Têm sido dias de trabalho muito longos para mim neste mês.
Ainda não me habituei ao horário de 12 horas a trabalhar, nem à solidão da rotina diária, nem ao vazio do contacto com as pessoas do meu dia a dia.
Não me habituei ao sacrifício de não estar com a(s) pessoa(s) de quem gosto, e de, mesmo que por poucos minutos, revitalizar o meu espirito – porque isso sempre compensou os dias.

Ainda não me habituei a estas mudanças de humor.
Nem à casa vazia.

À falta do som da tv, dos mimos da Dona Lia.
Sinto falta de uma boa conversa, que não gire em torno de dinheiro e de trabalho.
Sinto falta de muito, e de nada.

Mas sinto mais falta de mim. De me olhar ao espelho e gostar do que vejo. Do meu humor oportuno, da minha conversa simples e animadora. Sinto falta do meu peso. Do meu bigode e da barba bem aparada.


Sinto falta de paz. E de uma rotina que não esta. 



terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Dia 46 - funny videos

Conhecem o Nectarina Noob

Bom nunca vos disse mas eu tenho um pequeno vicio que é ver gameplays... Não é que seja o meu hobbie dia a dia mas gosto.

Partilho este canal que podem partilhar e seguir... my friend é super divertido. 

Não vou partilhar um video de gameplay, mas sim de um desafio que é provar alimentos esquisitos... só rir.

Cá eu acho que me vomitava todo. 


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Dia 44 e 45 - assunto inevitável...

Sim também vou partilhar a minha experiência são valetiniana (tenho a certeza que esta palavra não existe).

Olhas para o facebook todo o fim de semana e só vês romance e dor de cotovelo. Se têm namorado fazem uma publicação onde mostram o quanto gostam dele, se não têm publicam a dizer que dia dos namorados é todos os dias e blá blá blá.

Pois bem, como vem sendo meu habito no facebook eu publiquei um "nim".

Para mim o dia de São Valentim nunca teve muito significado à semelhança de todas as outras festividades - historia de vida, tão a ver? - portanto não me fez sentido celebrar com especial entusiasmo.

No entanto devo dizer que o celebrei de certa maneira. E que foi especial foi... E mais não digo.




Dia 43 - another day in call-center

Quem já teve a infelicidade de precisar de trabalhar num call-center sabe que o controlo sobre as acções dos operadores é extremamente pressionaste.

Muito se fala da diferença entre um chefe e um líder.

Por tudo o que eu estudei, e por toda a experiência que fui adquirindo ao longo da minha carreira profissional, devo dizer que ali vejo chefes a tentarem serem líderes de equipa.

E por quê? Porque tive a oportunidade de presenciar o meu primeiro briefing, onde levamos na cabeça por mil coisas, e no fim recebemos um elogio. 
Com pouco à vontade por parte do rapaz que se esforçou nitidamente para se sobrepor à equipa com quase meia centena de pessoas... completamente agarrado aos livros de liderança e gestão de equipas, o que suou a pouca convicção e respeito e extremamente mecânico.

No fim a frase que mais ficou foi: já mandei embora gente por menos... 

Nada contra porque o estilo em call-center parece ser esse mesmo. Onde a ameaça de desemprego é o melhor e mais rápido meio para se atingir o objectivo. Através do medo espera-se que se venda mais? 

Bom a mim não me parece nada. Está errado no meu ponto de vista. Até porque para se ser um bom comunicador é necessário alguma liberdade nas palavras, na forma como se chega ao outro do outro lado da linha, a pressão da venda só te faz perder clientes a meio prazo. depois é preciso ter um bom argumento de venda, não basta dizer que somos bons, é preciso provar isso.

Creio que a minha carreira de comunicador pelo call-center não vai ser muito longa. Não é porque não consiga fazer aquele trabalho, é porque não consigo mesmo vender o que eles querem que se venda em 4 horas de trabalho. 

A questão é: podem vir com pressão de que fico sem trabalho, mas graças a Deus não fico desempregado. 

Agora ponderando bem as coisas, o melhor é valorizar o que tenho certo, que é a cadeira das 08h às 17h, porque esse sim foi uma bênção te-lo conseguido. 






quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Dia 42 - Brother

Há marcos na vida de uma pessoa que não podem ser deixados de lado, apesar de que temos a tendência de os arredondar. Por exemplo celebramos com muito entusiasmo quando passamos a ter 18 anos. Sentimos-nos uns adultos responsáveis (gargalhada). Depois, e porque essa é a idade certa para grandes festejos, celebramos quando temos os 20... os 25 e sem darmos pelo tempo passar da década dos "intes", já entrámos nos "intas".

Para mim entrar nos "intas" não foi fácil, avaliar tudo o que decidi fazer com a minha vida, as responsabilidades, e o que isso contribui significativamente para o meu futuro. No entanto se fizer uma avaliação justa, até que não me saí mal.

Acredito que todos passam por este processo, e alguns até se sentem desapontados com o que alcançaram, por vários motivos - actualmente nem a conjuntura ajuda.

O importante é que (e este é o meu discurso motivador), se olhe para esta viragem e se aproveite as oportunidades todas. Que se lute pelo nosso bem estar, porque a vida não pode estar em "modo de sobrevivência".

Hoje, alguém que eu amo muito, e que respeito, completa 30 anos. 

My Brother, desejo-te uns "intas" muito felizes. 







quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Dia 41 - Previsões

Deve ser por causa deste "transito" que eu estou a penar nos meus trabalhos...


Diga-se de passagem que se é por este motivo, não me importo nada de ficar no carro preso no "trânsito".



Dia 39 e 40 - The Operator...

... há também um filme com este nome que por acaso vi quando me fui deitar ontem, é do cansaço.

A verdade é que tenho estado em formação para o call-center e qual foi o meu espanto? a brutidão como passamos da teoria ligeira para a prática repentina.

Depois de atendidas umas 60 chamadas em 4 horas nada como um tesourinho para recuerdo:

eu: o meu nome é Pedro, estou a contacta-lo daqui (...)
sr.: eu não quero nada pelo telefone, sabe porque? porque já fui enrabado muitas vezes...


De repente fiquei com a sensação que estava no call-center do Grindr...


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Dia 37 e 38 - Carnaval...

Quero evitar fazer qualquer comentário ao Carnaval em portugal. até porque nós tentamos fazer o que muitos fazem muito bem... sambar... na calçada portuguesa... isso é que é. 
Digam lá às misses no sambódramo para dançarem sobre a calçada portuguesa sem torcer um tornozelo?

A musica abaixo foi um ponto frenético no fim do desfile... tanto orgulho em Sesimbra porque Cabral descobriu o Brasil.



Deixando-me de parvoíce... certo é que estas musicas descontrolam-te a racionalidade, quando te tocam no cérebro, em nenhum caso, por mais que tentes evitar,  os teus pés começam a dançar... uns mais libertos que outros, mas o tilintar das chaves de casa no bolso denunciam-te logo...

É Carnaval seu pé de chumbo, vamos, sei lá ... Sambar?  ao fim ao cabo foi Seu Cabrau que descobriu o Brasiu.




sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Dia 35 - Work irritations

WTFUUUUUCK
Se há coisa impossível no meu trabalho é conseguir ter plena concentração... e porquê? Porque toda a gente fala alto num espaço pequeno, amplo, para demasiadas pessoas. 
Já tive a oportunidade de dizer inclusive que há colegas que refilam porque o furador delas tem muitas bolinhas. (talvez porque não têm assim tanto desenvolvimento cognitivo que lhes permita saber como o esvaziar)

Como faço para me concentrar... headphones... com musica alta... 
Hoje parece que houve demasiado silencio porque me mandaram baixar o som... 

Não há paciência... 

Dia 33 e 34 - Consciência de mim

Vi publicada uma foto minha no facebook, um tesourinho que a minha mãe desencantou do baú... que me fez recordar como eu era naquela idade. 

Fez-me pensar ainda como a minha consciência estava naquele momento. Não sei precisar que idade tinha, acho que 15 ou 16 anos. 

Mas o que divago é na capacidade de conseguir controlar a minha mente, os meus sentimentos, as minhas emoções, numa altura difícil como é a adolescência. Fiz isso de uma forma tão profunda que me convenci de que tudo o que eu sentia naquele momento era errado. 

Pergunto-me muitas vezes como consegui isso... 

Fácil, para mim foi fácil. 
No entanto ficava nas escadas da escola e ver-me ao  longe,  no banco do átrio ali sentado, de perna cruzada, entre intervalos a conviver com a malta, a ouvi-los nas suas parvoeiras e conversas. Maior parte das vezes calado, com olhar vazio. 

Não me recordo com detalhe quando passei a estar mais introspectivo, acho que estava apaixonado.

Rever aquela foto, foi rever-me naquelas escadas, e sentir que não era ali o meu lugar. Foi abrir a porta à saudade. Às memórias. 

Por cliché, muitos dizem que não se deve olhar para o passado mas sim para o futuro. Eu faço isso, mas olho para o passado para perceber o meu presente e planear o meu futuro. 

Hoje em dia, vez por outra, também fico à distancia a ver-me ao longe, mas não me vejo já a olhar para o vazio...



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Dia 32 - Musicas

...eis se não quando, em conversa animada, com emoticon fofinhos, beijinhos, macaquinhos envergonhados e gosto muito de ti: recebo esta musica... 



ai ai (suspiros)
btw, diz que vou aprender a dançar kizomba. :P


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Dia 30 e 31 - Inesperabilidades

Recentemente um amigo divagou sobre a vida e as pessoas e disse mais ou menos isto: que as pessoas cruzam-se e que com raridade uma marca a tua vida ou cativa-te de alguma forma.

Tenho de concordar.

Da minha parte divago algo parecido. Todos nós sabemos que manter uma relação requer esforço, dedicação, comunicação... e isso adquire-se com o tempo. Convivência. 
Há um ponto de viragem quando estamos a conhecer alguém em que sentes que é aquela pessoa que te vai acompanhar para a vida, mas esse processo não é instantâneo. O que eu acho ser assim é a atracção e a vontade de estar e de falar, porque a pessoa te cativa, a conversa te anima, que te identificas com a pessoa que está à tua frente. 
E nesse processo descobres mais. 
Ou então descobres menos. E sentes que não é ali o teu lugar. 

Às vezes fico em conflito com o meu Eu por causa desta ideia. Da insegurança quanto ao que me reserva. Tento dar o beneficio de duvida quanto ao que possa esperar. Insisto no meu intimo para não pensar no futuro, atiro-me, dou o meu coração e a minha disposição e esgoto-me. 

Os meus olhos denunciam-me logo. A minha face revela a minha mente. Impede qualquer disfarce. 
Resta levantar-me e arrumar a cadeira. 
Entretanto, inesperadamente, alguém se cruza.






Dia 29 - Abomino atum...

... menos no sushi.















Foi o meu jantar com amigos, e super mário.
Serão magnifico. Ao Gus e ao Tiago. 



sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Dia 28 - em modo pensativo...

Fui deitar-me em modo pensativo... só escrevo hoje sobre ontem porque não sabia bem como ia acabar o dia... admito que já tive fins de dia melhores...

Tenho de destacar a quantidade de pessoas que dizem: - O bigode fica bem, mas gosto mais da barba como tinhas antes.

Isto cria-me umas certas dúvidas quanto a uma eventual mudança ou manutenção do look... 

Não considerem isto como eu estando a precisar de elevar o ego com elogios, fazemos ao contrário: façam chacota do meu pior look... 


Esquerda, ano de 2006 - 23 anos
Ao meio, ano de 2011 - 28 anos
Direita, ano de 2015 - 32 anos 

Começo eu:  sem barba pareço o meu pai. 
(isto era um elogio...)